23 de jun de 2009

Escuta

Talvez seja a ultima carga que disponho...
Luto desesperadamente com o teu silencio absurdo.
Na quietude deste novo dia
ergo meus olhos até aos céus,
busco tua imagem...
Apesar de tudo, te sinto presente...
E num grito,
tentando quem sabe,
tambem destruir distancias
Lamento
este teu silencio que é só teu e
do nada nasceu.
Escuta, teu silencio me destroi.
(Fatima - 1978)

Nenhum comentário:

Postar um comentário