25 de jun de 2009

Ser proibido

Mais uma vez, me encontro só.
Tudo o que me cerca tornou-se futil e sem nexo.
Repasso no meu interior, todos os meus passos,
meus dias vividos intensamente.
Junto, meus momentos presentes,
aos queimados pelo fogo, pelo tempo...
Procuro-te entre as cinzas e te encontro...
Faço de ti, motivo para o meu viver.
Um pedestal onde coloco minhas alegrias, tristezas,
minha finalidade, minha vida...
És toda minha existencia,
a razão de um ideal.
Por ti, levaria todo um tempo,
revivendo todos os segundos juntos.
A ti,
daria todo um tempo,
meu tempo,
meu ser...
A ti proibido ser,
de todos os meus momentos,
a minha paz,
minha felicidade,
minha compreensão,
o meu amor.
(Fatima - 1974)

Nenhum comentário:

Postar um comentário