18 de jan de 2010

Na boca da noite


Quando as estrelas chegam na boca da noite,
ouço o barulho do teu silêncio
que aumenta a dor da minha saudade.
Sinto o abraço da tristeza,
da ausência duradoura,
do voltar que demora.
Aproveito o assobio do pé de vento
e te chamo outra vez...
Caminho na direção do mar,
deixo minhas pegadas na areia.
Pulo as ondas da praia, beijoqueiras e
constantes.
Jogo na correnteza da maré
meus suspiros,
minha alma, meu coração...
Distante de qualquer realidade
tenho a certeza que encontrarás
estes sentimentos,
em algum lugar,
em um momento qualquer.
(Fátima - 17.01.2010)

9 de jan de 2010

Te vejo


Te vejo no final da rua, voltando.
Trazendo na mochila o sorriso que furtastes,
o calor do sol dos meus dias...
Te vejo novamente como o farol
que aponta o rumo da minha vida
e indica a direção do meu destino.
Te vejo outra vez como o motivo que devolve a paz.
Razão que encerra a distancia e faz esquecer a saudade...
Te vejo como o
amanhecer mais esperado
que cede lugar ao “pra sempre” que para sempre espero.
(Fátima – 03.01.2010)

2 de jan de 2010

Chegou 2010


Chegou 2010.
Fiz festa,
dei gargalhadas,
Abracei e recebi abraços.
Cantei na despedida do que passou
e para o novo dia.
Catei moedas.
Pisei na areia,
pulei ondas,
comi uvas e brindei...
Para Deus um agradecimento.
Para Iemanja uma saudação.
Gritei silenciosamente meus projetos:
Que os sonhos se realizem,
Que a distancia tenha fim,
Que a espera termine.
Que a esperança se torne certeza e
que o "pra sempre" se eternize...
Que o novo ano seja feliz!
(Fatima - 01.01.2010)