30 de set de 2013

Não vivo mais teus dias

Não vivo mais teus dias.
Superei a saudade. Sem remorsos, fecho a porta do destino que me embalou em sonhos.
Destruo, jogo distante o último bilhete, marca do adeus.
Apago as lâmpadas que um tempo iluminaram os caminhos cheios de momentos.
Deixo partir para sempre a lembrança do ultimo sorriso.
Olho por fim o vazio que não se altera.
Ignoro a lágrima que chega derrubando o que resta da alma.
Assim, sem qualquer ilusão,
sem qualquer expectativa.
Fecho a porta, apenas...

(Fátima - 29.09.2013)

Nenhum comentário:

Postar um comentário