11 de fev de 2014

Historias da boneca Mariana



Então chegará o dia que não te contarei histórias,
Deixarei que contes as tuas...
Que não trocaremos surpresas...
Dia que não te farei dar gargalhadas,
mas quieta, estarei  rindo das tuas e contigo.
Chegará o dia,  que minhas promessas estarão todas cumpridas...
Será o tempo de começarás responder as próprias perguntas...
Já não estarei apertada nos teus braços, 
não serei teu conforto no choro.
Nunca serei menor na tua vida 
e continuarás para sempre, infinitamente plena na minha.
Terás com certeza,  o tempo do teu rir, 
do teu cantar, 
do teu dançar, 
do teu amar.
Terás vida e na vida, sonhos, caminhos a seguir.
Dia chegará que serei para alguns, talvez,
nada mais que uma boneca nas tuas lembranças...
Assim indiferente, estarei feliz, entre nuvens 
que sempre fizeram teu céu parecer maior. 
(Fátima - 11.02.2014 para minha neta Maria Laura)

10 de fev de 2014

Envelhecendo



Não desejo medir a que distancia estão as estrelas,
Nem mais saber se posso enrolar a linha do horizonte.
Não quero calçar o pé de vento, nem o bocejar da boca da noite.
Desisti de encontrar o luar no céu da boca.
Com teu adeus, envelheci, cansei de ser inocente e inconsequente...
Me vesti com o manto da saudade sem fim.
Abafei o grito triste que fugia da garganta
Não consegui segurar ponteiros do
meu tempo.
Prometi treinar a arte de nunca esperar. Só prometi!
(Fátima - 10.02.2014)

Que o luar se apague

Encostei meu olhar no horizonte e esperei ouvir tua voz.
Nos sonhos, me desencontrei abraçando o infinito.
Deixarei então, o silencio me sufocar lentamente...
Devo somente esperar o completar do tempo.
Somente esperar que o luar se apague.
Que a chuva lave os pensamentos de saudade...
(Fátima - 05.02.2014)


5 de fev de 2014

Naquela esquina

Vou sentar junto ao meio fio de uma calçada qualquer.
Vou fixar o mesmo olhar de saudade naquela esquina.
Talvez teu olhar possa novamente se encontrar com o meu...
Talvez braços se abracem, bocas se encontrem.
Quem sabe do tempo esperado sonha e deseja
Ou sonha e espera... (Fátima - 05.02.2014)