25 de jun de 2009

Trapo


Um corpo, uma alma, um ser...
contudo, um trapo.
Um corpo transformado em materia...
talhado pelo tempo, pelo espaço, pela existencia...
Uma alma bitolada pela sociedade...
fundamentada nos fatos e atos...
egoisticamente criados,
paulatinamente formados.
Nascidos da materia, fria, egocentrista...
Um ser, união de um corpo materia e alma corrompida...
Um ser, vivente que respira, pensa, chora, vive e sofre.
Um ser,
um trapo,
resultado de uma sociedade errante
sem base,
de homens poderosos, fortes...
Seres, trapos derrotados na batalha do tempo,
onde os vencedores são os parasitas
e os derrotados verdadeiras fontes de vida.
Derrotados,
seres, trapos,
restos de um corpo...
Sombras de uma alma.
De tudo o que foi,
deste ser,
desta alma, apenas a deturpação existe,
com o fracasso.
Fim de toda uma sociedde:
um ser,
um corpo.
Antes humano,
um corpo,
agora matéria.
(Fatima - 1974)

Nenhum comentário:

Postar um comentário