19 de jul de 2009

...

Neste instante
em que o silencio da noite conhece o meu,
agora quando meus olhos procuram os teus...
quando em maquinas sons perdem-se no retangulo do meu quarto,
sumindo pela janela aberta,
talvez para as estrelas e ate mesmo para lua...
Nesta hora em que finalmente percebi,
que ninguem podera mudar-me
e que todas as minhas revoltas,
so a mim pertencem...
e juntamente com meu eu,
liberto-me de tudo e de todos
projetando meu pensamento em ti...
Choro uma dor...
sorrio para um ideal: partir...
e sigo imaginando um caminho utopico
onde no silencio de um amor
tu me sorris e me abraças...
Será sempre assim...
com todos em todos os lugares,
eu estarei pensando em ti,
somente em ti.
(Fatima - 1971)

Nenhum comentário:

Postar um comentário