23 de fev de 2010

Vida na tela da TV


Acordo com bom dia e desejo que o sol permaneça comigo
indiferente às previsões que nem sempre certas,
que repetidamente informam.
Hoje não há de chover.
Desejo o sol para brilhar e suportar as fatalidades
que existiram nas madrugadas de muitos,
porque por mais você me envolvo em todas as manhãs
quando planejo tudo fazer e nada faço.
Espero sem sucesso, que não haja noticias que assustem
e no vídeo show da vida, relembro momentos que existiram e encantaram,
que não se perderam no tempo
Adormeço, entre um comercial e outro,
anestesiada pela ausência de idéias geniais...
Procuro rever minha alma gêmea e vivo sentimentos puros que
liberam lagrimas e gargalhadas, emoções.
Lamento o tempo que passa e dá fim aos sonhos que surgem em cada capitulo...
o fim certo de cada dia.
Registro mais um filme na agenda.
Busco o silencio, gravo na alma o que está alem da minha janela,
Imagino o navio silencioso que gigantesco procura o porto...
que tem o céu cortado pelo rastro.
Crio nas nuvens brancas imagens desejadas, sinto abraços,
tenho todos os reencontros que me são permitidos.
Na malhação pratico a paciência das artimanhas da cama de gato
superando tempos modernos... tempos... tempo de choro, tempo de avalanches, enchentes, subornos, denuncias, decisões, enxurradas...
É preciso viver a vida... superar situações inesperadas.
Não a vida que assusta, engana, que cria o poder paralelo.
Viver a vida que encanta e lentamente enche minha alma preguiçosa.
Vou indicando por votação o tempo de espera que deve ser eliminado.
Aponto a saudade insistente para o proximo paredão...
São capítulos e capítulos e o viver se contradiz em choro e emoção.
Não me canso de viver.
Desligo as imagens e me deito com o silencio do luar.
Quero me realizar conforme os projetos que estão armazenados em meu coração solitário.
Preciso do amanhã que somente é mais outro dia cheio de certezas nascidas das esperanças que se formam em cada amanhecer. (Fatima - 23.02.2010)

Nenhum comentário:

Postar um comentário